SAÚDE MENTAL NO TRABALHO HUMANITÁRIO: o “outro” pela visão do Direito Fraterno.

Bárbara Bruna de Oliveira Simões, Sandra Regina Martini

Resumo


O direito humano à saúde é a ponte para a cidadania ao efetivar outros direitos aos indivíduos. Neste artigo, analisaremos o direito humano à saúde do “outro” esquecido pelo direito humanitário: o trabalhador de ajuda humanitária, que presencia as situações de emergência, salvando vidas e tentando preservar a sua. Como está a saúde mental destes profissionais? A quais doenças mentais são acometidos? Quais os resultados do adoecimento destes trabalhadores? Para isso, abordaremos o direito humano à saúde, a partir do referencial da Teoria Geral dos Sistemas Sociais (Niklas Luhmann), da Metateoria do Direito Fraterno e o Direito Vivente (Eligio Resta).


Palavras-chave


Saúde; Ajuda Humanitária; Trabalhadores; Metateoria do Direito Fraterno; Outro

Referências


ANTARES FOUNDATION. Managing stress in humanitarian aid workers: guidelines for good practice. Amsterdã: Antares Foundation, 2012. Disponível em:< https://www.antaresfoundation.org/FileLibrary/file6782.pdf>. Acesso em 29 de abr. de 2017.

BENEVIDES-PEREIRA, Ana Maria T. Burnout: o processo de adoecer pelo trabalho. In: ______ (Org.). Burnout: quando o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador. 4.ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2010, p.21-91.

BURN-OUT. In: HORNBY, A. S. Oxford advanced learner’s dictionary of current English. 7th ed. Oxford: Oxford University Press, 2005.

CHAVES, André Santos. Confiança na efetivação do direito à saúde. In: MARTINI, Sandra Regina. MAIA, Selmar José (Org). O movimento entre os saberes: a transdisciplinaridade e o direito. V. II. Porto Alegre: Evangraf, 2016.

CINELLI, Carlos Frederico. Direito internacional humanitário: ética e legitimidade na aplicação da força em conflitos armados. Curitiba: Juruá, 2011.

COMITÊ INTERNACIONAL DA CRUZ VERMELHA. Descubra o CICV. Genebra: CICV, 2016. Disponível em: < https://www.icrc.org/pt/descubra-o-cicv>. Acesso em 12 de maio de 2017.

CONNORTON, Ellen et al. Humanitarian relief workers and trauma-related mental illness. Epidemiologic Reviews. London: Oxford University Press, v.34, jan, 2012, p. 145-155. Disponível em:< https://academic.oup.com/epirev/pages/About>. Acesso em 28 de abr. de 2017.

CORSI, Giancarlo; ESPOSITO, Elena; BARALDI, Claudio. GLU: glossário sobre la teoría social de Niklas Luhmann. Mexico: Ed. Universidad Iberoamericana, 1996.

DAVEY, Eleanor; BORTON, John, FOLEY, Matthew. A history of the humanitarian system, Western origins and foundations. Londos: HPG Working Paper. Overseas Development Institute, 2013. Disponível em:< http://www.odi.org/publications/7535-global-history-humanitarian-action>. Acesso em 03 de maio de 2017.

DEPRESSÃO. In: HOUAISS, Antonio; VILLAR, Mauro; FRANCO, Francisco Manoel de Mello. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001, p.943.

ESTRESSE. In: ______. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001, p.1264.

FRITCHE, Anna Thais Cantoni. Burnout – uma ameaça à integridade do trabalhador com sérios prejuízos às organizações. Terra e cultura, Londrina, v.19, n.36, jan./jun. 2003, p.91-102, p.92. Disponível em:< http://www.unifil.br/portal/arquivos/hotsites/paginas/2010/12/170_33_hotsitespg.pdf>. Acesso em: 07 de maio de 2017.

GARCIA, Gustavo Filipe Barbosa. Meio ambiente do trabalho: direito, segurança e medicina do trabalho. 3.ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Forense, 2011.

GIGON, Fernand. A epopeia da Cruz Vermelha: a vida de Henri Dunant. São Paulo: Melhoramentos, [s.d.].

GUARDIAN, The. Secret aid worker: when your dream job ends in depression. 2016. Disponível em: . Acesso em 18 de maio de 2017.

______. Secret aid worker: your stories of mental health, PTSD and burnout, 2015. Disponível em:< https://www.theguardian.com/global-development-professionals-network/2015/sep/23/secret-aid-worker-mental-health-ptsd-and-burnout>. Acesso em 18 de maio de 2017.

GUERRA, Sidney. Direito internacional dos direitos humanos. São Paulo: Saraiva, 2015.

LOPES CARDOZO, Barbara et al. Psychological distress, depression, anxiety and burnout among international humanitarian aid workers: a longitudinal study. Plos One. v.7, issue 9, 2012. Disponível em: < http://journals.plos.org/plosone/article/file?id=10.1371/journal.pone.0044948&type=printable>. Acesso em 17 de maio de 2017.

LOPES CARDOZO, Barbara et al. The mental health of expatriate and kosovar albanian humanitarian aid workers. Disasters. V.29. Oxford: Blackwell Publishing, 2005, p. 152-170. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15910647>. Acesso em 17 de maio de 2017.

LUHMANN Niklas. O direito da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2016.

______ ¿Cómo es posible el orden social? México: Editorial Herder, 2009.

MARQUES, Christiani. A proteção ao trabalho penoso. São Paulo: LTr, 2007.

MARTINI, Sandra Regina. A fraternidade tem lugar nos espetáculos da sociedade atual? In: STRECK, Lenio Luiz; ROCHA, Leonel Severo; ENGELMANN, Wilson (Org.). Constituição, sistemas sociais e hermenêutica. N. 12. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2016.

MARTINI, Sandra Regina. SZINVELSKI, Mártin Marks. Reflexões sobre saúde e município: análise sobre a saúde como bem comum ou bem da comunidade. In: MARTINI, Sandra Regina. MAIA, Selmar José (Org). O movimento entre os saberes: a transdisciplinaridade e o direito. V. II. Porto Alegre: Evangraf, 2016.

OCHA. Saving lives today and tomorrow: managing the risk of humanitarian crises. New York: OCHA, 2014. Disponível em: < https://docs.unocha.org/sites/dms/Documents/OCHA%20SLTT%20Web%20Final%20Single.PDF>. Acesso em 18 de maio de 2017.

RESTA, Eligio. O Direito Fraterno. Tradução e coordenação de Sandra Regina Martini Vial. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2004.

RODRIGUES, Gustavo Vettorazzi. O enfrentamento de complexos desafios contemporâneos a partir do método transdisciplinar em relação à categoria ético-jurídica dos direitos humanos: um estudo de complementaridade entre a filosofia, a sociologia e o direito. In: MARTINI, Sandra Regina. MAIA, Selmar José (Org). O movimento entre os saberes: a transdisciplinaridade e o direito. V. II. Porto Alegre: Evangraf, 2016, p. 91 – 102.

SANTOS, Dailor dos. Os limites da seletividade do direito à memória: a fragilidade da construção política da memória. In: MARTINI, Sandra Regina. MAIA, Selmar José (Org). O movimento entre os saberes: a transdisciplinaridade e o direito. V. II. Porto Alegre: Evangraf, 2016, p. 67 – 76.

SCHAUFELI, Wilmar B.; LEITER, Michael P.; MASLACH, Christina. Burnout: 35 years of research and practice. Career development international, Bingley, v.14, n.3, 2009, p.204-220. Disponível em: < http://www.wilmarschaufeli.nl/publications/Schaufeli/311.pdf>. Acesso em: 28 abr. 2017

UN REFUGEE AGENCY, The. Managing the Stress of humanitarian emergencies. Genebra: UNHCR, 2001. Disponível em:< https://drc.ngo/media/.../unhcr-booklet-on-stress-management.pdf>. Acesso em 28 de abr. de 2017.

UNITED NATIONS. Fatalities. 2017. Disponível em:< http://www.un.org/en/peacekeeping/resources/statistics/fatalities.shtml>. Acesso em 12 de maio de 2017.

______. United Nations peacekeeping. [s.d.]. Disponível em: < http://www.un.org/en/peacekeeping/documents/UN_peacekeeping_brochure.pdf>. Acesso em 12 de maio de 2017.

VIEIRA, Gustavo Oliveira. Constitucionalismo na mundialização: desafios e perspectivas da democracia e dos direitos humanos. Ijuí: Editora Unijuí, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2526-0219/2017.v3i1.1893

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.