O UNIVERSO JURÍDICO E O PRECONCEITO RACIAL POR MEIO DAS LENTES DO CINEMA: AMISTAD

Sergio Leandro Carmo Dobarro, Sílvia Helena Schimidt

Resumo


O presente artigo tem como escopo analisar a afinidade entre o cinema e o Direito nas atuais teorias jurídicas como exercício pedagógico. A sétima arte beneficia a prática de análise, de indagações, de interpretação e conceitos por meio das mais variadas abordagens da problemática jurídica pelo cinema; e sugerem questões políticas, sociais e éticas aos discentes, instigando a difusão de ideias, ideais, valores e forma de vida. Desta forma, o corrente artigo tem por finalidade certificar a relevância do cinema como instrumento eficaz para promover o raciocínio jurídico, notadamente tomando por base o filme Amistad.


Texto completo:

PDF

Referências


ADEODATO, João Maurício. A Retórica Constitucional: Sobre a Tolerância, Direitos Humanos, e Outros Fundamentos Éticos do Direito Positivo. São Paulo: Saraiva, 2009.

ALMEIDA, Guido. O professor que não ensina. São Paulo: Summus, l986.

ALVARENGA, Rúbia Zanotelli de. Hermenêutica Jurídica e Direitos Humanos Sociais do Trabalhador. Revista LTr, São Paulo, v. 73, n. 6, p. 705-718, jun. 2009.

AMISTAD. Diretor: Steven Spielberg. Roteirista: David Franzoni. Intérpretes: Morgan Freeman, Anthony Hopkins, Matthew McConaughey, Nigel Hawthorne, Djmon Housou, David Paymer, Anna Paquin. Estados Unidos: DreamWorks Pictures, 1997. 162 min.

BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. As mutações do conceito e da prática. In: Barbosa, Ana Mae Tavares Bastos (Org.) Inquietações e mudanças no ensino de arte. São Paulo: Cortez, 2008. p. 13-25.

CAVALCANTI, Manuel. O cinema como objeto do Direito. Rio de Janeiro: Congregação da Faculdade Nacional de Direito, 1953.

DELORS, Jacques; et. al. Educação: um tesouro a descobrir - Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1999.

EINSTEIN, Albert. Como vejo o mundo. Tradução H. P. de Andrade. 11. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981.

FRANZ, Teresinha. Educação para uma compreensão crítica da arte. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2003.

FREIRE, Paulo. Educação e atualidade brasileira. São Paulo: Cortez, 2001.

______. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.

______. Ação cultural para a liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

______. Educação e atualidade brasileira. Recife: Universidade de Recife, 1959.

HAYDT, Regina C. Cazaux. Curso de didática geral. São Paulo: Ática, 2003.

HOUAISS, Antonio; VILAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

KOURGANOFF, Wladimir. A face oculta da universidade. São Paulo: EDUNESP, 1990.

LACERDA, Gabriel. Direito no Cinema: relato de uma experiência didática no campo do Direito. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

LAFER, Celso. Reconstrução dos direitos humanos: um diálogo com o pensamento de Hannah Arendt. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2001.

MASETTO, Marcos Tarciso. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, 2003.

NUCCI, Guilherme e Souza. Leis Penais e Processuais Penais Comentadas. 3. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.

OLIVEIRA, Maria Rita Neto Sales Oliveira; ANDRE, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. A prática de ensino de didática no Brasil: introduzindo a temática. São Paulo: UNESP, 2003.

ONU - Organização das Nações Unidas. Declaração Universal dos Direitos Humanos de 10 de dezembro de 1948. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2013.

RIBEIRO, Fernando J. Armando. Direito e cinema: uma interlocução necessária. Del Rey Jurídica, Belo Horizonte, v. 9, n. 18, ago./dez. 2007.

RICHTER, Ivone Mendes. Interculturalidade e estética do cotidiano no ensino das artes visuais. São Paulo: Mercado de Letras, 2003.

RODRIGUES, Horácio Wanderlei. Ensino jurídico: saber e poder. São Paulo: Acadêmica, 1988.

SCHWARZ, Rodrigo Garcia. Trabalho Escravo: a Abolição Necessária: Uma Análise da Efetividade da Eficácia das Políticas Públicas de Combate à Escravidão Contemporânea no Brasil. São Paulo: LTr, 2008.

SUNDFELD, Roberta; SUNDFELD, Carlos Ari. O Direito na arte de Chaplin e Kafka: ensaio de comparação de tempos modernos com Na Colônia Penal. Revista Direito GV, São Paulo, v. 1, n. 2, jun./dez. 2005.

VEIGA, Ilma P. Alencastro. Repensando a didática. 23. ed. Campinas: Papirus, 2006.

WERNER, David; BOWER, Bill. Aprendendo e ensinando a cuidar da saúde. 3. ed. São Paulo: Paulinas, l984.

ZAMBONI, Silvio. A pesquisa em arte: um paralelo entre arte e ciência. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2525-9911/2017.v3i2.3821

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.