Direito, Literatura e Sociedade

Ursula Miranda Bahiense de Lyra

Resumo


A presente pesquisa tem por objetivo destacar a importância da literatura no pensamento crítico sobre o Direito, aliado à busca pela emergência de um sujeito autônomo e político enquanto possibilidade de materialização de um novo direito. Para tanto, utilizar-se-á de pesquisa bibliográfica, buscando-se em um primeiro momento discorrer sobre o percurso histórico do “Law and Literature Moviment” para, posteriormente, abordar o pensamento de Michel Foucault, suas ideias sobre o poder, a constituição da subjetividade, a dimensão ética do sujeito e o cuidado de si, a Aufklärung e a sua concepção deste novo direito.

Palavras-chave


Arte, Direito e literatura, Aufklärung, Estética da existência, Cuidado de si

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, L. O problema da autoria: internet, literatura e ontologia. 2002. 349 f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Subjetividade) – Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2002.

______. Literatura e a experiência do escrever: algumas reflexões sobre a resistência no seio da linguagem. Revista Filos. V.21, n.28, p. 87-106, jan./jun. 2009.

BARROS, M. O livro sobre o nada. Rio de Janeiro: Record, 1996.

BARTHES, R. Roland Barthes por Roland Barthes. São Paulo: Cultrix, 1975.

______. Aula inaugural da cadeira de semiologia literária do Colégio de França, pronunciada dia 7 de janeiro de 1977. São Paulo: Cultrix, 1978.

______. Escrever, verbo intransitivo? In: O rumor da língua. São Paulo: Brasiliense, 1984a. p. 30-39.

______. A divisão das linguagens. In: O rumor da língua. São Paulo: Brasiliense, 1984b. p. 110-122.

BAUDELAIRE, Charles. O Pintor da Vida Moderna. In: A modernidade de Baudelaire. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

CÂNDIDO, Antônio. Direito à Literatura. O direito a literatura. In: Vários Escritos. São Paulo: Duas Cidades, 1995.

CASTELO BRANCO, Lucrecia Paula Corbella. A constituição da subjetividade a partir de Sartre e Pirandello. p, 4. Disponivel em:

http://seer.psicologia.ufrj.br/index.php/abp/article/view/729/633. Acesso em: 07/02/2014.

DELEUZE, G. Crítica e clínica. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1997.

______. Qu‘est-ce que l‘acte de création? In: Deux régimes de fous: textes et entretiens, 1975-1995. Paris: Les Éditions de Minuit, 2003. p. 291-302.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Kafka, pour une littérature mineure. Paris: Les Éditions de Minuit, 1975.

______. 20 de Novembro de 1923 – Postulados da Lingüística. In: Mil Platôs, capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995. v. 2, p. 11-59.

DIAS, Rosa Maria. ―Nietzsche e Foucault – a vida como obra de arte‖. In: Kangussu, I. O cômico e o Trágico. Rio: Editora 7 Letras, 2008;

FOUCAULT, Michel. A coragem da verdade: o governo de si e dos outros II: curso no Collège de France (1983-1984). Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

_______. A hermenêutica do sujeito. Trad. Márcio Alves da Fonseca e Salma Tannus Muchail. 1a Ed. Martins Fontes - SP, 2004.

______. A linguagem ao infinito. In: Ditos e escritos III. estética: literatura e pintura, música e cinema. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001. p. 47-59.

______. A loucura, a ausência da obra. In: Ditos e escritos I. problematização do sujeito: psicologia, psiquiatria e psicanálise. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1999a. p. 190-198.

______. A loucura e a sociedade. In: Ditos e escritos I. problematização do sujeito: psicologia, psiquiatria e psicanálise. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1999c. p. 235-242.

_______.(1984a) Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento; oraganização e seleção de textos Manoel Barros da Motta; tradução Elisa Monteiro. – 2. Ed. – Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

_______. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. S. Paulo: Martins Fontes, 1985.

———. A verdade das formas jurídicas. Rio de Janeiro: Cadernos PUC, 1981.

_______. Deux essais sur le suject et le pouvoir in Dreyfuss, Hubert & Rabinow, Paul. op.cit.

______. Em Defesa da Sociedade. Curso no Collège de France (1975-1976). São Paulo: Martins Fontes, 1999.

_______.(1984b) Ética, Sexualidade, Política; oraganização e seleção de textos Manoel Barros da Motta; tradução Elisa Monteiro. – 2. Ed. – Rio de Janeiro: Forense Universit‘ria, 2008, v.2, p.335-351.

_______.(1984c) Ética, Sexualidade, Política; oraganização e seleção de textos Manoel Barros da Motta; tradução Elisa Monteiro. – 2. Ed. – Rio de Janeiro: Forense Universit‘ria, 2006, v.5, p. 265-287.

_______. El orden del discurso. Barcelona: Tusquet Editor, 1973.

_______. História da loucura na idade clássica. S.Paulo: Perspectiva, 1978.

_______. História da sexualidade 1 - a vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1984.

_______. História da sexualidade 2 - o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985.

_______. História da sexualidade 3 - o cuidado de si. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985.

_______. Isto não é um cachimbo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

_______. La pensée du dehors. In: Revue critique. Maurice Blanchot. Paris: Editions de Minuit, 1966. p. 533-546. Tomo XXII, n. 229.

______. Loucura, literatura, sociedade. In: ______. Ditos e escritos I. problematização do sujeito: psicologia, psiquiatria e psicanálise. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1999b. p. 210-134.

______. Linguagem e literatura. In: MACHADO, R. Foucault, a filosofia e a literatura. Rio de Janeiro: JZE, 2000. p. 137-174.

_______. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

______. Nascimento da Biopolítica. Curso no Collège de France (1978-1979). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

_______. Nietzsche, Freud & Marx — Theatrum Philosoficum. São Paulo: Editora Princípio, 1987.

_______. O combate da castidade in Ariès, Philippe & Béjin, André (orgs.). op. cit.

_______. O nascimento da clínica. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1977.

_______. Résponse au Cércle d'épistémologie in Cahiers pour l'analise, no. 9, Paris: Éditions du Seuil, 1968.

______. Segurança, Território, População. Curso no Collège de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

_______.(1984d) Uma Estética da Existência; oraganização e seleção de textos Manoel Barros da Motta; tradução Elisa Monteiro. – 2. Ed. – Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006, v.5, p. 288-293.

_______. Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 1987. Foucault, M. et alii. Eu Pierre Rivière, que degolei minha mãe, minha irmã e meu irmão. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1977.

GARAUDY, Roger. Dançar a Vida. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

GROSS, Frédéric. Situação do curso. In: Foucault, Michel. A hermenêutica do sujeito. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

KANT, Immanuel. Fundamentação da Metafísica dos Costumes. Trad. Paulo Quintela. Lisboa: Edições 70, 1997.

______ . Resposta à pergunta: o que é o Iluminismo. In: A paz perpétua e outros opúsculos. Lisboa: Edições 70, 1990.

PARSONS. Talcott. La estructura de la acción social. Madri: Guadarrama, 1968.

__________.II ruolo dell´ identitá nella teoria generalle dell´azione. In: SCIOLLA, Loredana. Identitá: percosi analisi in sociologia. Torino: Rosenberg e Sllier, 1983. p. 63 – 88.




DOI: http://dx.doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2525-9911/2016.v2i1.639

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.