O Homem Pós-Moderno como Vítima Colateral da Sociedade de Consumo

Rafaela Baldissera, Liton Lanes Pilau Sobrinho

Resumo


O presente artigo tem como objetivo investigar se os padrões determinados pela sociedade de consumidores trazem impactos negativos ao ser humano enquanto ator social. Nesse sentido, por meio do método dedutivo e da técnica bibliográfica, discorre-se sobre o fato de o consumo ser um novo valor social e analisa-se quem seriam as vítimas colaterais da atual sociedade de consumo. Assim, ao verificar que as ações humanas estão sendo orientadas por mandamentos consumistas, reconhece-se a importância de uma educação para o consumo consciente e sustentável como pressuposto para aperfeiçoar um desenvolvimento humano mais responsável, pautado na igualdade e justiça social.


Palavras-chave


Consumismo; Consumo consciente; Sociedade; Sustentabilidade; Vítimas colaterais.

Texto completo:

PDF

Referências


AQUINO, Sérgio Ricardo Fernandes de. As raízes do direito na pós-modernidade. Itajaí: ed. Da UNIVALI, 2016.

AQUINO, Sérgio Ricardo Fernandes de; ZAMBAM, Neuro José. As contradições do capitalismo no século XXI e sua metamorfose pela democracia e justiça. Scientia Iuris, Londrina, v. 20, n. 2, p. 107-140, jul. 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 de abril de 2017.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para o consumo: a transformação das pessoas em mercadorias. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

BAUMAN, Zygmunt. Capitalismo parasitário: e outros temas contemporâneos. Tradução Eliana Aguiar. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010.

BAUMANN, Zygmunt. A ética é possível num mundo de consumidores? Tradução de Alexandre Werneck. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

BAUMAN, Zygmunt; DONSKIS, Leonidas. Cegueira moral: a perda da sensibilidade na modernidade líquida. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

BOFF, Leonardo. Sustentabilidade: o que é – o que não é. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

DIAS, Maria da Graça dos Santos. Sociedade. In: BARRETO, Vicente de Paulo. Dicionário de filosofia política. São Leopoldo, (RS): Editora da UNISINOS, 2010.

DOBSON, Andrew. Citizenship and the Environment. New York: Oxford University Press, 2003.

FREITAS, Juarez. Sustentabilidade: direito ao futuro. Belo Horizonte: Fórum, 2012.

HARVEY, David. O enigma do capital e as crises do capitalismo. Tradução de João Alexandre Peschanski. São Paulo: Boitempo, 2011.

INSTITUTO BRASILEIRO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. França aprova artigo de lei que pune empresa que praticar obsolescência programada. 2015. Disponível em: http://www.idec.org.br/em-acao/noticia-do-consumidor/franca-aprova-artigo-de-lei-que-pune-empresa-que-praticar-obsolescencia-programada. Acesso em: 10 de abril de 2017.

LATOUCHE, Serge. Pequeno tratado do decrescimento sereno. Tradução de Cláudia Berliner. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

LEFF, Enrique. Epistemologia ambiental. Tradução de Sandra Valenzuela. São Paulo, Cortez, 2010.

LEFF, Enrique. Ecologia, capital e cultura: a territorialização da racionalidade ambiental. Tradução de Jorge E. Silva. Petrópolis - RJ: Vozes, 2009.

MORAES, Kamila Guimarães. Obslescência planejada e direito (in) sustentabilidade do consumo à produção de resíduos. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2015.

NALINI, José Renato. Ética Ambiental. Revista, atualizada e ampliada. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2015.

PAUSE, Ana Paula de Oliveira. O Direito Constitucional ao Meio Ambiente Saudável através da Educação para o Consumo: a abordagem das garantias constitucionais do consumidor diante do Princípio da Sustentabilidade, resultado da Educação para o Consumo. In: KERBER, Gilberto; BOFF, Salete Oro; JESUS, José Lauri Bueno. Educação para o consumo sustentável e prevenção do superendividamento. Campinas, SP: Millennium Editora, 2015.

PEREIRA, Agostinho Oli Koppe; CALGARO, Cleide; PEREIRA, Henrique Mioranza Koppe. Consumocentrismo e os seus reflexos socioambientais na sociedade contemporânea. Revista Direito Ambiental e sociedade, v. 6, n. 2, p. 264-279, 2016.

PEREIRA, Agostinho Oli Koppe; CALGARO, Cleide; PEREIRA, Henrique Mioranza Koppe. A sustentabilidade numa sociedade hiperconsumista. In: PILAU SOBRINHO, Liton Lanes. Consumo e sustentabilidade. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, 2012.

VEIGA, José Eli da; ISSBERNER, Liz-Rejane. Decrescer crescendo. In: LÉNA, Philippe; NASCIMENTO, Elimar Pinheiro. Enfrentando os limites do crescimento: sustentabilidade, decrescimento e prosperidade. Rio de Janeiro: Garamond, 2012.

VIEIRA, Gabriella de Castro; REZENDE, Elcio Nacur. Sociedade de risco: consumismo e impactos ambientais. In: SILVEIRA, Clóvis Eduardo Malinverni; SOBRINHO, Sérgio Francisco Carlos Graziano. Direito, risco e sustentabilidade: abordagens interdisciplinares. Caxias do Sul/RS: Educs, 2017.

VIEIRA, Gabriella de Castro; REZENDE, Elcio Nacur. A Responsabilidade Civil Ambiental decorrente da Obsolescência Programada. Revista Brasileira de Direito, Passo Fundo, v. 11, n. 2, p. 66-76, jul.-dez 2015. Disponível em: . Acesso em: 30 de março de 2017.

SOUZA, Maria Claudia da Silva Antunes de; STOHRER, Camila Monteiro Santos. Consumo Consciente como mecanismo da Sustentabilidade. In: BENACCHIO, Marcelo; GARCIA, Marcos Leite; ARCE, Gustavo. Direito e sustentabilidade. Florianópolis: CONPEDI, 2016.

ZAMBAM, Neuro. Amartya Sen: liberdade, justiça e desenvolvimento sustentável. Passo Fundo: IMED, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2525-9687/2017.v3i1.2172

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.