A DEMOCRATIZAÇÃO DO LUXO E O CONSUMO DE SENSAÇÕES: PODER SIMBÓLICO E REDES SOCIAIS EM RELAÇÃO AO DESENVOLVIMENTO SOCIAL HUMANO

Alessandra Brustolin, Cátia Rejane Liczbinski Sarreta

Resumo


O artigo pretende realizar uma análise crítica em relação a atual fase da sociedade de consumo impulsionada pelo processo de globalização, principalmente após a “democratização do luxo”. Os objetos e pessoas são elementos de distinção social e símbolo de pertencimento a grupos sociais. Com o passar dos anos o consumo passou a ser protagonista e ditar as regras sociais, a aquisição tornou-se um ato de satisfação pessoal que invade o campo dos sentidos. O que se busca questionar é a necessidade de consumir para ser visto e como isso afeta o desenvolvimento social humano. O método utilizado será o dedutivo.

Palavras-chave


Globalização. Luxo. Consumo. Redes Sociais. Desenvolvimento Social Humano.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Zygmunt. Globalização: as consequências humanas. Tradução Marcus Penchel. Rio de Janeiro: Zahar, 1999.

____, Zygmunt. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Tradução Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

CHOMSKY, N. A minoria próspera e a multidão inquieta. 2. ed. Rio de Janeiro: UnB, 1997.

FACHIN, Luiz Edson. Reflexões sobre risco e hiperconsumo. In: OLIVEIRA, Andressa Jarletti Gonçalves de; XAVIER, Luciana Pedroso (Orgs.). Repensando o direito do consumidor III: 25 anos de CDC: conquistas e desafios. v. 19. col. Comissões. Curitiba: OABPR, 2015.

GIDDENS, Antony. Sociologia. Tradução Ronaldo Cataldo Costa. 6. ed. Porto Alegre: Penso, 2012.

IANNI, O. Teorias da globalização. 5. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

IGLESIAS, Enrique. Cultura, educación y desarollo. Assembléia Geral da Unesco. Paris: 1997.

JODELET, Denise. La representación social: fenómenos, concepto y teoria. In: MOSCOVICI, Serge (Org). Pensamiento y vida social. Barcelona/Buenos Aires/México: Paidós, Psicologia Social, 2, 1985.

LIPOVETSKY, Gilles. A felicidade paradoxal: ensaio sobre a sociedade de hiperconsumo. Tradução Maria Lucia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

_____, Gilles; ROUX, Elyette. O luxo eterno: da idade do sagrado ao temoi das marcas. Tradução Maria Lúcia Machado. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

MCLEÓDE. “A formação do Simbólico”. Traduzido do original francês por Maria Nazaré Machado Mcleod – Universidade Estadual Feira de Santana – Paru dans Canadart V. Revista do Núcleo de Estudos Canadenses, Universidade do Estado da Bahia. Associação Brasileira de Estudos Canadenses – ABECAN. Salvador, Bahia, 1997, 147-162.

MOSC OVICI, Serge. A Representação Social da Psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

PUTNAM, Robert. Comunidade e democracia. A experiência da Itália moderna. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1996. Tradução de Making Democracy Work: Civic Traditions in Modern Italy (1993).

SARRETA, Cátia Rejane Lickzbinski. Meio ambiente e consumo sustentável: direitos e deveres do consumidor. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, 2007.

SEN, Amarya Kumar. Desenvolvimento como liberdade. Tradução Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

TOURAINE, Alain. O que é democracia? Petrópolis: Vozes, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2525-9687/2018.v4i1.4358

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.