A Historicidade da Sexualidade e os Movimentos Sociais dos Homossexuais pela Proteção e Defesa de seus Direitos e Garantias Fundamentais

Renata Almeida Da Costa, Valquiria Palmira Cirolini Wendt

Resumo


O texto visa analisar a historicidade envolvendo a sexualidade desde o contexto binário normal ou anormal, transitando pela homossexualidade e os gêneros sexuais (terceiro gênero). Destaca a busca pelo reconhecimento dos homossexuais através dos movimentos sociais realizados, principalmente no Século XX. Assim, descreve a conquista de inúmeros direitos através de mobilizações e pela publicização dos temas através dos grupos homossexuais organizados no Brasil que, direta ou indiretamente, pautaram a mídia, foram reconhecidos no judiciário e sensibilizaram o poder público. Sobretudo, que os movimentos sociais tendem a buscar cada vez mais a afirmação da identidade dos homossexuais pela proteção e defesa de seus direitos e garantias fundamentais.


Palavras-chave


Sexualidade, Gênero, Homossexuais, Movimentos sociais, Direitos

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Ana Claudia Condeixa. Ruas e bancas coloridas: os discursos da imprensa sobre as identidades homossexuais nas Paradas LGBT do Rio de Janeiro e de São Paulo. Revista ComUnigranrio, v. 01, p. 01-19, 2009.

ATAÍDE, Marlene Almeida de. Os movimentos sociais dos homossexuais na história: uma questão em análise. Seminário Internacional Enlaçando Sexualidades, Universidade do Estado da Bahia – Salvador, 2013.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BENTO, Berenice. A reinvenção do corpo. Sexualidade e gênero na experiência transexual. – Rio de Janeiro: Gramond, 2006.

______. O que é transexualidade. – São Paulo: Brasiliense, 2008.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: Feminismo e subversão de identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

______. Corpos que pensam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In:

LOURO, Guacira (org). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Legislação Informatizada – Dados da Norma. Lei nº 12.783, de 11 de janeiro de 2013. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2013/lei-

-11-janeiro-2013-775059-norma-pl.html. Acesso em: 14 ago. 2015.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Resolução nº 175, de 14 de maio de 2013. Dispõe sobre a habilitação, celebração de casamento civil, ou de conversão de união estável em casamento, entre pessoas de mesmo sexo. Disponível em: http://

www.cnj.jus.br/files/atos_administrativos/resoluo-n175-14-05-2013-presidncia.pdf. Acesso em: 10 ago. 2015.

COSTA, Jurandir Freire. A Face e o verso: estudos sobre o homoerotismo, 2. São Paulo: Escuta, 1995.

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL - Assembleia Legislativa. Gabinete de Consultoria Legislativa. Decreto nº 49.122, de 17 de maio de 2012. Disponível em:

http://www.direitohomoafetivo.com.br/anexos/normatizacao/92__016b5a9c5e4a7ede52fbac

dbe4d3ed68.pdf. Acesso em: 14 ago. 2015.

FACCHINI, Regina. Sopa de letrinhas? O movimento homossexual e a produção de identidades coletivas nos anos de 1990. Rio de Janeiro, Garamond, 2005.

______. Histórico da luta de LGBT no Brasil. 2011. Disponível em:

http://www.crpsp.org.br/portal/comunicacao/cadernos_tematicos/11/frames/fr_historico.asp

x. Acesso em: 10 ago. 2015.

FRY, Peter; MACRAE Edward. O que é homossexualidade. São Paulo: Abril Cultural Brasiliense, 1985.

FRANCO, Neil. A diversidade entra na escola: histórias de professores e professoras que transitam pelas fronteiras das sexualidades e do gênero. (Dissertação) – Universidade de Uberlândia, Uberlândia, 2009.

FURLANI, Jimena. Direitos Humanos, Direitos Sexuais e Pedagogia Queer: o que essas abordagens têm a dizer à Educação Sexual? In: Rogério Junqueira (Org.). Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação/UNESCO, p. 293-323, 2009.

LOURO, Guacira Lopes. Teoria queer: uma política pós-identitária para a educação.

Florianópolis: Estudos Feministas, v. 9, n. 2, 2001.

______. O corpo estranho. Ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

MACRAE, Edward J. B. N. Movimentos Sociais e os direitos de Cidadania dos Homossexuais. In: Angela Araujo. (Org.). Trabalho, Cultura e Cidadania. São Paulo: Scritta, p. 237-245, 1997.

MASSINI, Érica. Conheça as mais importantes Paradas LGBT e outros eventos deste gênero no mundo. Blog 1A, 03/09/2012. Disponível em: http://amadeus1a.com.br/conhecaas-

mais-importantes-paradas-lgbt-e-outros-eventos-deste-genero-no-mundo/. Acesso em: 10 ago. 2014.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria nº 457, de 19 de agosto 2008. Disponível em:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/2008/prt0457_19_08_2008.html. Acesso em: 14 ago. 2015.

______. Portaria nº 2803, de 19 de novembro 2013. Disponível em:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt2803_19_11_2013.html. Acesso em: 14 ago. 2015.

MOLINA, Luana. Pagano Peres. A homossexualidade e a historiografia e trajetória do movimento homossexual. Londrina: Antíteses, v. 4, p. 949-962, 2011.

NICHOLSON, Linda. Interpretando o gênero. Tradução Luiz Felipe Guinardes Soares. Revisão técnica Claudia de Lima Costa. Cornell Univesity Press, 1999.

PASSAMANI, Guilherme Rodrigues; MAIA, Lenine Ribas. Um herói gay: uma análise sobre homofobia, militância e moralidade a partir de MILK - A Voz da Igualdade. In: Guilherme Rodrigues Passamani. (Org.). Ciclo de Cinema: entre histórias, teorias e reflexões. II Volume. Campo Grande: Editora da UFMS, v. II, p. 85-98, 2011.

PORTAL BRASIL. STF reconhece adoção de criança por casal homoafetivo. 20/03/2015 11h59min. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2015/03/ministrado-

stf-reconhece-adocao-de-crianca-por-casal-homoafetivo. Acesso em 14 ago. 2015.

PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL. Parecer nº. 1503/2010. Disponível em: http://www.pgfn.fazenda.gov.br/noticias/pgfn-divulga-parecer-favoravel-a-inclusao-de-dependente-homoafetivo-para-efeitos-fiscais?searchterm=homoss. Acesso em: 14 ago. 2015.

RODRIGUEZ, José Rodrigo. FRANZ NEUMANN. O direito liberal para além de si mesmo. In: Marcos Nobre. (Org.). Curso Livre de Teoria Critica. 2008, p. 97-116.

SALIH, Sara. Judith Butler e a Teoria Queer / Sara Salih. Tradução e notas Guacira Lopes Louro. – Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2012.

SANTOS, Gustavo Gomes da Costa. Mobilização sexual e estado do Brasil: São Paulo (1978- 2004). Revista Brasileira de Ciências Sociais, v.22, n.63, p.121-135, 2007.

SEDGWICK, Eve Kosofsky. A Epistemologia do Armário. In: Cadernos Pagu. Tradução de Plinio Dentzien. Campinas, Núcleo de Estudos de Gênero Pagu, 2007.

SOARES, Jessica. 11 movimentos anti-homofobia no futebol brasileiro. Super Interessante, 09/12/2013. Disponível em: http://super.abril.com.br/blogs/superlistas/11-

movimentos-anti-homofobia-no-futebol-brasileiro/. Acesso em: 12 ago. 2015.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Ação Direta de Inconstitucionalidade 4.277 Distrito Federal. Brasília, 2011. Disponível em: http://redir.stf.jus.br/paginadorpub/

paginador.jsp?docTP=AC&docID=628635. Acesso em: 14 ago. 2015.

TRINDADE, José Ronaldo. O mito da multidão: uma breve história da parada gay de São Paulo. Niterói: Revista Gênero, v. 11, n. 2, p. 73-97, set. 2011.

WEEKS, Jeffrey. O corpo e a sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizante: Autêntica, p. 35-83, 2000.

WELZER-LANG, Daniel. A construção do masculino: dominação das mulheres e homofobia. In: Estudos Feministas, Florianópolis, v.1, n. 2, p. 460-482, 2001.




DOI: https://doi.org/10.26668/2525-9849/Index_Law_Journals/2015.v1i1.998

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.