CLASSIFICAÇÃO DAS PESQUISAS APRESENTADAS NO GRUPO DE TRABALHO SOBRE ENSINO DO DIREITO NOS EVENTOS DO CONSELHO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO (CONPEDI)

Mariana Moron Saes Braga, Rodrigo Maia de Oliveira

Resumo


A literatura tem apontado que a pesquisa empírica em direito ainda é incipiente no Brasil. As pesquisas são eminentemente bibliográficas e tem natureza descritiva do ordenamento jurídico e dos conceitos dogmáticos nele estabelecidos. O objetivo do estudo foi classificar as pesquisas apresentadas no grupo de trabalho sobre ensino do direito nos dois grandes eventos promovidos pelo CONPEDI nos últimos cinco anos. Foram utilizados dois critérios de classificação das pesquisas: segundo as fontes de informação e a natureza dos dados. Os resultados evidenciaram que as pesquisas produzidas são em sua grande maioria bibliográficas e de natureza qualitativa.

Palavras-chave


ensino jurídico; pesquisa empírica; produção científica; CONPEDI

Texto completo:

PDF

Referências


ADEODATO, J. M. Bases para uma metodologia da pesquisa em direito. Revista CEJ (Brasília), Brasília, v. 7, p. 143-150, 1999.

BASTOS, A. W. (1991) Pesquisa Jurídica no Brasil: Diagnóstico e Perspectivas. Sequência, vol. 12, nº 23. UFSC, Florianópolis, SC.

BRAGA, M. M. S; OLIVEIRA, R. M. de. A produção bibliográfica em coautoria nos grupos de pesquisa em direito. In: BEVILACQUA, A. V.; PINTO, F. C. de S. Direito, educação, epistemologias, metodologias do conhecimento e pesquisa jurídica I. Florianópolis: CONPEDI, 2016. p. 54-72.

FRAGALE FILHO, R.; NORONHA, R. (Org.). Pesquisa empírica em direito no Brasil: o estado da arte a partir da plataforma lattes e dos encontros do CONPEDI. In: OLIVEIRA, Fabiana Luci de. Justiça em foco: estudos empíricos. Rio de Janeiro: FGV, 2012. p. 97-144.

FRAGALE FILHO, R.; VERONESE, A. K. A pesquisa em Direito: diagnóstico e perspectivas. RBPG. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília (DF), v. 2, p. 53-70, 2004.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GONSALVES, E. P. Conversas sobre iniciação à pesquisa científica. 3. ed. Campinas: Alínea, 2003.

GUSTIN, M. B. de S. et al. Pesquisa quantitativa na produção de conhecimento jurídico. Rev. Fac. Direito UFMG, Belo Horizonte, n. 60, p.291-316, jun/ 2012.

KUNZ, I. Dinâmica de produção de conhecimento na área de direito no Brasil. 2011. 245 f. Tese (Doutorado) - Departamento de Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

MARTINS, G. de A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2007.

NERI, M. C. Apresentação. In: Anais do I ENCONTRO DE PESQUISA EMPÍRICA EM DIREITO, Rio de Janeiro: Ipea, 2011. p. 7 - 9.

NOBRE, M. Apontamentos sobre a pesquisa em direito no Brasil. Novos Estudos. CEBRAP, São Paulo, v. 66, p. 145-154, 2003.

OLIVEIRA, F. L. de (Org.). O sistema de justiça brasileiro sob olhares empíricos. In: OLIVEIRA, F. L. de. Justiça em foco: estudos empíricos. Rio de Janeiro: FGV, 2012. p. 07-12.

ROBL FILHO, I. N. et al. Direito, educação, epistemologias, metodologias do conhecimento e pesquisa jurídica. Florianópolis: CONPEDI, 2015.

XAVIER, J. R. F.; SILVA, P. E. A. Carta dos Editores. Revista de Estudos Empíricos em Direito, [s.l.], v. 1, n. 1, p.03-03, 24 jan. 2014. Semestral. Instituto Rede de Pesquisa Empirica em Direito (REED). http://dx.doi.org/10.19092/reed.v1i1.




DOI: http://dx.doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2525-9636/2017.v3i1.2024

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.