A Apa da Baleia Franca e o Turismo de Observação de Baleias Embarcado (Tobe): Sustentabilidade ou Exploração Animal?

Fernanda Luiza Fontoura de Medeiros, Letícia Albuquerque

Resumo


O Sistema Nacional de Unidades de Conservação, regulado pela Lei 9985/2000, estabelece duas grandes categorias de Unidades de Conservação: as unidades de conservação de proteção integral e as unidades de conservação de uso sustentável. Entre as unidades de conservação de uso sustentável, as áreas de proteção ambiental caracterizam-se por serem áreas extensas, instituídas para a preservação dos processos naturais e da biodiversidade, bem como para regular as atividades humanas às características ambientais da área. Assim, no sul do estado de Santa Catarina foi instituída a Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca (APABF), com o objetivo principal de proteger nas aguas brasileiras a baleia franca austral. Recentemente, a APABF esta sendo palco de um intenso conflito socioambiental em razão da Ação Civil Pública (ACP) interposta pelo Instituto Sea Shepherd Brasil em face do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBIO), pedindo a condenação do ICMBIO a adotar de forma permanente, as medidas necessárias e eficazes para a proteção das baleias-francas, mediante a fiscalização das empresas que praticam a observação das baleias com uso de embarcações, com ou sem motor, a fim de impedir a violação da legislação. Este artigo consiste em um estudo de caso e visa contribuir para o conhecimento do caso do turismo de observação de baleias embarcado na APABF, através da analise da legislação aplicada, como dos atores envolvidos na controvérsia judicial e o seu reflexo para os direitos animais. A pesquisa é feita através da analise documental da legislação que caracteriza as unidades de conservação, da legislação especifica de proteção aos cetáceos, bem como dos argumentos utilizados pelas partes envolvidas na ACP.

Palavras-chave


Direito dos animais, Ação civil pública, Unidades de conservação

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Leticia. Conflitos socioambientais na zona costeira catarinense. Tese. Florianópolis: UFSC, 2009.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/ConstituicaoCompilado.htm

BRASIL. JUSTIÇA FEDERAL. AÇÃO CIVIL PÚBLICA N.º 5002236-48.2012.404.7216/SC.

BRASIL. Lei n.º 7.643, de 18 dezembro de 1987. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L7643.htmBRASIL. Lei n.º 9.985, de 18 de julho de 2000. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/leis/L9985.htm

BRASIL. TRF4. AGRAVO DE INSTRUMENTO N.º 5012653-43.2013.404.0000/SC

CABRAL, Najila Rejane Alencar Julião. SOUZA, Marcelo Pereira. Área de Proteção Ambiental: planejamento e gestão de paisagens protegidas. São Carlos: RIMA, 2005.

CARVALHO, Vitor. RIZZO, Hidelly. A Zona Costeira Brasileira: subsídios para uma avaliação ambiental. Brasília: MMA, 1994.

FELIPE, Sônia T. Acertos abolicionistas – a vez dos animais. São José (SC): Ecoânima, 2014.

FREITAS, Juarez. Sustentabilidade: direito ao futuro. Belo Horizonte: Editora Fórum, 2011.

JERÔNIMO, Daniel; BALOD, Edison P.; JERÔNIMO, Rosa N. T. História, ambiente e turismo: da caça à preservação da Baleia Franca em Garopaba e Imbituba – SC. Gaia Scientia. 2008, 2 (1): p. 63 – p. 74. Disponível em:

http://www.okara.ufpb.br/ojs/index.php/gaia/article/viewFile/2548/2221. Acesso em 10 de julho de 2015.

MACHADO, Paulo Affonso Leme. Direito Ambiental Brasileiro. São Paulo: Malheiros, 2012.

MEDEIROS, Fernanda Luiza Fontoura de. Direito dos Animais. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2013.

MEDEIROS, Fernanda Luiza Fontoura de. Meio Ambiente: direito e dever fundamental. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2004.

MEDEIROS, Fernanda Luiza Fontoura de; ROCHA, Marcelo Hugo da. Como se preparar para o Exame da Ordem. Vol. 11. Ambiental. Rio de Janeiro: Forense, 2015.

MILANO, Miguel. Conceitos básicos e princípios gerias de planejamento, manejo e administração. In: Encontro de Planejamento de Unidades de Conservação, 1999. Santa Teresa: UFES, 1999.

MORAES, Antonio Robert Moraes. Contribuições para a gestão da zona costeira do Brasil: elementos para uma geografia do litoral brasileiro. São Paulo: Annablume, 2007.

PALAZZO, Miriam. PALAZZO, José Truda. S.O.S. Baleia!: a história do maior movimento conservacionista de todos os tempos. Porto Alegre: Sulina, 1989.

PROJETO BALEIA FRANCA. www.baleiafranca.org.br

SARLET, Ingo Wolfgang; FENSTERSEIFER, Tiago. Princípios do Direito

Ambiental. São Paulo: Saraiva, 2014.

SILVA, José Afonso da. Direito Ambiental Constitucional. São Paulo: Malheiros, 2007.

TAYLOR, Paul W. Respect for nature: a theory of environmental ethics. Princeton: Princeton University Press, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.26668/IndexLawJournals/2525-9695/2015.v1i1.17

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.